Michael Jackson talks to Oprah - traduzida na íntegra

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Michael Jackson talks to Oprah - traduzida na íntegra

Mensagem por Raquel M.K.Jackson em Sex Jun 10, 2011 8:43 pm

Oprah: Boa noite, sou Oprah Winfrey. Concedo á todos dos Estados Unidos, América do Norte e a todos os países ao redor do mundo, uma entrevista exclusiva no mundo com a pessoa mais famosa e a maior estrela na história da música, Michael Jackson.
Estou aqui na entrada de sua casa na Califórnia, é um rancho
Localizado em Santa Barbara, e em seu interior está o homem que quebrou todos os records possíveis na música, essa noite o conheceremos e o definiremos através dos anos.
Foi quem certamente inovou a música, a dança, os vídeos e principalmente a moda.
Nada do que ele é tem pouco de espetacular. Esta noite, Michael Jackson seguirá com as surpresas nos dará um tour especial em sua aconchegante casa, a qual inclui uma sala de cinema privada, e nos concederá uma escala completa em sua música. Também versão uma atuação especial sua e uma seleção de seus vídeos musicais premiados.
Nós próximos 90 minutos, Michael Jackson se revelará á ele mesmo em seu lugar, como nunca fez antes.
Esta noite...o silêncio...chegou ao seu fim. Em breves momentos, Michael Jackson.
(apresentação)
Oprah: A casa de Michael Jackson não é nada do que se poderia imaginar. Pensei que veria algumas lhamas passeando ao redor do rancho e alguns chimpanzés saltando. Pois não é assim, estava imensamente equivocada.
Há uma abundância de áreas alucinantes nos 2700 acres de terra que possui o rancho, o qual verão nos próximos 90 minutos. Verão que onde Michael Jackson dorme e vive, é simplesmente um lugar fantástico. Há uma biblioteca cheia de clássicos encadernados em couro e trabalhos de arte nas paredes, nem todas que pensávamos encontrar.
Antes de lhes apresentar o homem que vive aqui, é importante saber de onde veio, para que a sua história não seja tão pouco incrível.

(Music And Me começa a tocar enquanto são mostradas fotos e vídeos antigos de Michael e seus familiares).
Bem vindos á casa Jackson 5, zeladores dos sonhos.

Michael Jackson, é o sétimo de nove irmãos e irmãs nascidos em Gary, Indiana, filhos de um empregado de uma indústria metalúrgica chamado Joseph e de uma mãe chamada Katherine. Diz-se que “The Jackson” se dedicaram á música no dia que sua televisão quebrou, mas desde que começaram a atuar foram destinados á glória.
Começaram em um lugar chamado “Motown”.
(Michael cantando Baby, baby, baby na apresentação na Motown)
Esse vídeo de “The Jackson” é da audiência na Motown e o qual mostra as influências de James Brown sobre o pequeno Michael e a atuação dos meninos trouxe quase toda a equipe para vê-los. Berry Gordy supôs em seguida que “Motown” os contrataria.

(Vários vídeos dos Jackson são mostrados)
E assim foi o começo de uma carreira que rompeu quase todos os records que haviam, começando com uma série de 4 números um consecutivos.

(Ed Sullivan apresenta os Jackson e muitos vídeos e sucessos são apresentados)
Para a família Jackson suas vidas mudaram como da noite para o dia. Passando do anonimato ao super estrelato. Cheia de fotos, limusines e aparições na tv, mas foi o pequeno Michael que conseguiu a absoluta atenção.

(Começa I’ll Be There com partes de vídeos)
Os números um continuavam acumulando. Michael se tornou uma estrela por seu próprio esforço, lançando canção pós canção cada uma se convertendo em ouro.

(Ben)
Os anos passaram, e o sucesso dos “The Jackson” continuou á medida que sua música caminhava junto com a moda.
Porém, quando os cinco cresceram, que haveria imaginado que Michael Jackson...arrasaria com tudo?
Oprah: Senhoras e senhores, Michael Jackson!
(Michael entra na sala de visitas ao som de Billie Jean)

Oprah: Está nervoso?

Michael: Se estou o que?

Oprah: Você está nervoso nesse momento?

Michael: Não estou nervoso, sério.

Oprah: Você realmente não está?

Michael: Não, eu nunca fico nervoso.

Oprah: Nem sabendo que essa é sua primeira entrevista ao vivo para todo o mundo?
Eu pensei que você estaria um pouco nervoso, mas se você não está é ótimo porque
não estando nervoso eu não fico nervosa. Eu apenas quero que o mundo saiba que quando concordamos em fazer essa entrevista você não hesitaria em contar tudo.

Michael: Esta é a verdade.

Oprah: Verdade absoluta. Eu estava o vendo ao fundo e o assistindo no vídeo anos atrás. Isso lhe traz recordações?

Michael: Isso me faz rir porque há muito tempo eu não via essas filmagens.
Se isso me traz recordações? Sim, eu e meus irmãos que amo tanto e é um momento incrível pra mim.

Oprah: Eu vi você rindo enquanto cantava "Baby, Baby, Baby".

Michael: Sim, eu acho James Brown um gênio, sabe, quando ele está com a Famous Flame, é inacreditável. Eu o via na televisão e ficava nervoso com o camera-man porque quando ele realmente começava a dançar ele dava um close e eu não via seus pés. E eu gritava "mostre-o, mostre-o", para eu ver e aprender.

Oprah: Então ele foi um grande professor pra você?

Michael: Fenomenal, fenomenal.

Oprah: Quem mais foi?

Michael: Jackie Wilson, quem eu adoro como artista, e claro, músico. Motown. The Bee Gees que são brilhantes, eu adoro grandes músicas.

Oprah: Quando eu vi essas suas fitas, e céus, as juntando eu creio ter visto todos os vídeos feitos de você, e assistindo á essas fitas, especialmente na adolescência, você realmente tinha muita energia no palco. Você é tão feliz fora do palco como parece em cima dele?

Michael: Bem, o palco é para mim como a minha casa. Me sinto muito confortável no palco mas quando saio do palco, eu sou, muito triste.

Oprah: Sério?

Michael: Sim.
Oprah: E triste quando tudo começou, por que tão triste?

Michael: Sozinho, triste, tendo que encarar a popularidade e tudo isso. Existem horas que tenho muitos bons momentos com meus irmãos, guerra de travesseiros e essas coisas, mas eu estava, sempre chorando de solidão.

Oprah: Com qual idade isso começou?

Michael: Oh, muito pequeno, oito, nove.

Oprah: Foi quando se tornou famoso?

Michael: Sim.

Oprah: Mas não era isso que parecia para todo o mundo, todos nós...Eu me lembro eu era uma pequena criança negra, e queria me casar com Jackie Jackson, seu irmão, e sempre dizia a todos que isso era a coisa mais maravilhosa do mundo, quem nunca quis essa vida de fama?

Michael: Isso é maravilhoso, existem muitas maravilhas em ser famoso. Digo quando você viaja pelo mundo, conhece pessoas, vai em lugares, é ótimo. Mas existe o outro lado, que eu ainda não compreendi. São muitos ensaios e você tem que dedicar á isso muito do seu tempo, dar muito de si mesmo.

Oprah: Eu falei com Suzane dePasse outro dia, e Suzane dePasse me disse que vocês trabalharam juntos na Motown e ela realmente o enfeitou inteiro e lhe arrumou roupas para o programa de Ed Sullivan. Nós falamos sobre você perder seu estímulo por isso ou se ainda não está perdido, não é?

Michael: Bem, especialmente agora eu compreendo - e - eu ia pra minha escola onde estudava durante três horas com um professor e imediatamente depois ia pro estúdio gravar, e eu
gravava por horas e horas até ser hora de dormir. E eu me lembro de ir pro estúdio gravar e ter um parque do outro lado da rua, e via todas aquelas crianças brincando e eu chorava porque me deixava triste porque tinha que trabalhar duro.

Oprah: Eu quero agora mostrar fotos suas como um jovem garoto.

Michael: OK.
(demonstração de fotos do jovem Michael).
Oprah: Suzane disse que isso teve um duro preço. Gostaria de saber quão alto foi o preço, perdendo sua infância ou tendo esse tipo de vida?

Michael: Bem, você não pode fazer coisas que as outras crianças fazem, tendo amigos e fazendo festas. Não havia nada disso pra mim. Eu não tive amigos quando era pequeno. Meus irmãos eram meus amigos.

Oprah: Existe sempre um lugar onde -porque você conhece as crianças- porque eu me lembro falando comigo mesma e brincando com minhas bonecas...eu acho que toda criança precisa de um lugar para se refugiar, um mundo de criança, a imaginação de uma criança, teve alguma vez que você pôde fazer isso?

Michael: Não. E é por isso que eu penso que não a tive. Eu me compensei por aquilo. Pessoas sempre se maravilham quando estou com crianças ao meu redor, porque vejo nelas as coisas que nunca tive, sabe, Disneyland, parques de diversão, jogos. Eu adoro todas essas coisas porque quando era pequeno eraapenas trabalho, trabalho, trabalho de um concerto ao outro. Se não haviam concertos eram gravações em estúdio, se não era isso eram apresentações na TV ou sessões de fotos. Sempre tinha alguma coisa
para fazer.
Oprah. Smokey Robinson disse isso sobre você, e teve muitas outras pessoas também, que você é como uma alma velha em um corpo jovem.

Michael: Eu me lembro de ouvir isso toda vez quando era pequeno. Eles me chamavam de semi 45 anos onde quer que eu fosse...assim como quando as pessoas falam com você quando é pequeno e você começa a cantar você
não acha isso bom? E eu digo que nunca pensei sobre isso. Eu apenas o fiz e isso saiu de mim. Eu realmente nunca pensei nisso.

Oprah; Então aqui está você, Michael Jackson, você teve todos os sucessos, teve muitos sucessos - quatro sucessos de uma vez - e você ficava chorando por não ser como as outras crianças.

Michael: Bem, eu amava a fama e continuo amando a fama, mas algumas vezes você deseja se divertir e essa parte me deixa triste. Eu me lembro uma vez que estávamos nos preparando para ir para a América do Sul e tudo estava embalado e o carro estava pronto para ir e eu me escondi e estava chorando porque eu não queria ir. Eu queria brincar. Eu não queria ir.

Oprah: Seus irmãos ficaram com inveja de você quando começou a ser o centro das atenções?

Michael: Não que eu saiba, não.

Oprah: Você nunca se sentiu invejado?

Michael: Oh, deixe me pensar, não. Não, eu sei que eles estavam sempre felizes por mim ao fazer certas coisas, mas eu nunca senti inveja por parte deles.

Oprah: Você acha que eles têm inveja de você agora?

Michael: Eu não penso isso. Não penso nisso, não.

Oprah: Não. Como é o seu relacionamento com a sua família? Você é próximo deles?

Michael: Eu amo muito a minha família. Eu desejaria poder vê-los um pouco mais de vezes.
Mas nós entendemos porque somos uma família famosa e todos nós trabalhamos. Nós fazemos o dia da família quando estamos todos juntos, escolhemos a casa de uma pessoa, pode ser a casa de Jermaine ou a casa do Marlon ou a casa do Tito e todos irão em harmonia e amor uns com os outros e vemos o que cada um está fazendo e...

Oprah: Você não se sente perturbado com LaToya e o livro da LaToya e as coisas que LaToya disse sobre a família?

Michael: Bem, Eu não li o livro da LaToya. Eu só sei que amo a minha irmã, eu amo LaToya para sempre e sempre a quero ver feliz, amando LaToya me lembro de termos crescido juntos. Mas eu não posso responder isso.

Oprah: Você acha que muitas das coisas que ele está dizendo são verdade?

Michael: Não posso responder Oprah, honestamente eu não li o livro. É a pura verdade.
Oprah: Bem, vamos voltar quando você estava crescendo e sentindo tudo isso, bem, eu creio que foi uma angústia, porque não houve ninguém para brincar a não ser seus irmãos. Você nunca teve festas?

Michael: Nunca.

Oprah: Eu estou maravilhada por você, sendo esse garotinho fofo que todos adoraram e todos indo até você e puxando suas bochechas e te achando bonitinho. E depois veio a fase da adolescência onde tudo é novidade fiquei maravilhada quando você começou a ser adolescente tendo consigo aquela criança super talentosa, essa foi uma época difícil para você?

Michael: Muito, muito, muito difícil, sim. Porque eu acho que toda criança famosa sofre durante esse período porque você não é mais o bonitinho e a criança charmosa que você era. Você começa a crescer, e eles querem te manter pequeno para sempre.

Oprah: Quem são eles?

Michael: O público, e hum, a natureza toma o seu rumo.

Oprah: Ela toma.

Michael: Sim, e eu tive espinhas tão grandes que me deixavam com vergonha. Eu não me olhava. Eu escondia meu rosto no escuro. Eu não queria me olhar no espelho e meu pai me provocava com isso e eu odiava e chorava todo dia.

Oprah: Seu pai te provocava por causa das espinhas?

Michael: Sim e me dizia que eu era feio.

Oprah: Seu pai dizia isso?

Michael: Sim ele dizia. Desculpe Joseph.

Oprah: Como é o seu relacionamento com ele?

Michael: Eu amo meu pai, mas não o conheço.

Oprah: Você está nervoso com ele por ter feito aquilo? Eu acho uma crueldade.

Michael: Se estou nervoso com ele?

Oprah: Porque a adolescência já é difícil o bastante sem um pai dizendo que você é feio.

Michael: Se estou nervoso com ele? Muitas vezes eu fiquei nervoso. Eu não o conheci como gostaria de ter conhecido. Minha mãe é maravilhosa. Para mim ela é a perfeição. Eu apenas desejo poder entender meu pai.

Oprah: Então vamos falar sobre a juventude. Foi quando você começou a se conhecer? Porque obviamente você não falou com o mundo durante 14 anos. Então você se fechou, ficou recluso. Foi para se proteger?

Michael: Eu sinto que não há nada importante pra mim á dizer e esses foram tristes, tristes anos pra mim.

Oprah: Por que tão triste? Porque no palco você esteve atuando, você pegou seus Grammy. Por que tão triste?

Michael: Oh, existiram muitas tristezas sobre meu passado e minha adolescência, sobre meu pai e esses tipos de coisas.

Oprah: Então ele não o provocava, ele ria de você.

Michael: Sim.

Oprah: E ele...ele já bateu em você?

Michael: Sim.

Oprah: E por que ele bateu em você?

Michael: Ele me via, ele me queria, eu imagino...eu não sei se era a sua criança de ouro ou tanto fazia, mas ele era muito rigoroso, muito rígido, muito severo. Apenas um olhar já assustava você.

Oprah: E você tinha medo dele?

Michael: Muito. Haviam vezes que ele ia me procurar, eu ficava doente, começava a vomitar.

Oprah: Como criança ou como adulto?

Michael: Ambos. Ele nunca ouviu eu dizer isso. Sinto muito, não fique bravo comigo.

Oprah: Bem eu certamente suponho que todos têm que ter responsabilidade com quem eles deram a vida. E o seu pai é uma daquelas pessoas que também teria que ter responsabilidade.

Michael: Mas eu o amo.

Oprah: Sim...eu entendo isso.

Michael: E eu o estou perdoando.

Oprah: Você realmente o perdoa?

Michael: Eu perdôo. Existe tanta sujeira e lixo escrito sobre mim, e isso é mentira, eles são uns completos mentirosos, e essas são coisas que eu quero falar sobre. A pressão é muito grande...Deus...terrível, histórias horríveis...isso me faz crer que quando você escuta muito uma mentira, você começa a acreditar nela.
(comercial)
Oprah: Hum, nós falamos sobre os rumores durante o comercial e são muitos.
Primeiro de tudo eu vim á esta casa preparada para isso e eu olhei por toda a casa, subi escadas enquanto você não estava vendo, procurando por aquela câmara de oxigênio, e eu não encontrei nenhuma câmara de oxigênio em lugar nenhum da casa.

Michael: Esta história é tão maluca, é mais um daqueles tablóides, é completamente uma invenção.

Oprah: (quadro de Michael em uma câmara de oxigênio é mostrada pela câmera)
OK, mas você está em alguma coisa ali, há um quadro seu, de onde veio isso? Como isso começou?

Michael: Isto é...eu fiz um comercial para a Pepsi e eu fui muito queimado e nós ganhamos 1 milhão de dólares e eu doei todo o dinheiro...nós construímos esse lugar chamado de O Centro de Queimaduras de Michael Jackson e é uma central de tecnologia usada para pessoas queimadas, certo. Então eu estava olhando esse centro de tecnologia e decidi ir lá dentro apenas por curiosidade, alguém bateu a foto, quando eles revelaram a fotografia a pessoa que revelou a foto disse, "Oh Michael Jackson". Ele fez uma cópia e essa foto se espalhou pelo mundo com essa mentira junto. É uma mentira, por que as pessoas compram esses jornais? Não é a verdade. Eu estou aqui para dizer. Não julgue uma pessoa, não faça julgamento, ah não ser que tenha falado com elas uma a uma. Eu não me importo com essas histórias, apenas não as considere porque são uma mentira.

Oprah: Você está certo e essa história é como se tivesse criado pernas.

Michael: Isto é loucura. Por que eu iria dormir em uma câmara? (risos)

Oprah: Os rumores são que você estava dormindo numa câmara porque não queria envelhecer.

Michael: Isto é ridículo. É completamente inventado. Eu estou envergonhado. posso perdoar qualquer um, eu ensino todos a amar e a perdoar, que é o que tenho em meu coração, mas por favor não acredite nessas loucuras, nessas coisas horríveis.

Oprah: Você comprou os ossos do Homem Elefante? Você estava tentando os adquirir...

Michael: Não. Essa é outra história estúpida. Eu amo a história do homem Elefante, ele me traz á memória muitas coisas, e eu posso me referir á ela, isso me faz chorar porque eu me vejo na história, mas não eu nunca falei sobre...onde eu colocaria ossos?

Michael: ...E par que eu iria querer ossos?

Oprah: Eu não sei. Então de onde veio essa história?

Michael: Alguém inventou, e todos acreditaram. Se você ouve uma mentira muitas vezes, você começa a acreditar nela.

Oprah: Sim e pessoas ganham dinheiro vendendo tablóides.

Michael: Sim.

Oprah: Tudo bem. Recentemente há uma história, e eu sei que um de seus advogados o defendeu em uma nova conferência, há uma história sobre você querendo ter um garotinho branco com você em um comercial da Pepsi.

Michael: Isto é tão estúpido. É a mais ridícula e horrível história que eu já ouvi. Isso é loucura.
Porque, em primeiro lugar, é o meu rosto como criança que aparece no comercial, eu quando era pequeno, por que eu iria querer uma criança branca para fazer isso? Eu sou um americano negro, eu
sou orgulhoso da minha raça, eu sou orgulhoso de quem eu sou. Eu tenho muito orgulho e dignidade.
É como você querer uma criança oriental para brincar com você quando se é criança. Isso faz algum sentido?

Oprah: OK, vamos então para a coisa que é mais discutida sobre você, ou seja, a cor da sua pele...
é obviamente muito diferente de quando você era jovem, e eu acho que isso causou um grande número de especulações e controvérsias sobre o que você fez ou está fazendo, você está embranquecendo a sua
pele, e a sua pele está ficando clara porque você não gosta de ser negro?

Michael: Em primeiro lugar, que eu saiba não há nada que embranqueça a pele. Eu nunca vi isso, eu não sei do que se trata isso.

Oprah: Bem, eles têm esse produto, eu me lembro de crescer sempre ouvindo "sempre use branqueamento e brilho", mas você deve ter 300.000 galões.

Michael: OK, mas em primeiro lugar, essa é a situação. Eu tenho um problema de pele que destrói a pigmentação da minha pele, e é algo que eu não posso me ajudar, OK? Mas quando pessoas inventam histórias que eu não quero ser quem eu sou, isso me machuca.

Oprah: Então é isso...

Michael: Esse é um problema que eu não posso controlar...mas e quanto aos milhões de pessoas que sentam-se ao sol, para parecem mais escuras, para parecem quem não são. Ninguém fala nada sobre isso.

Oprah: Então, quando isso começou? Quando a sua...quando a cor da sua pele começou a mudar?

Michael: Oh, eu não...algum tempo após Thriller, em torno de Off The Wall, Thriller, algum tempo em torno disso.

Oprah: Mas no que você pensou?

Michael: Está na minha família, meu pai disse que é do seu lado. Eu não posso controlar isso, eu não entendo, isso me deixa muito triste. Eu não quero falar sobre meu histórico médico porque é pessoal, mas é a situação até aqui.

Oprah: OK, eu só quero que seja honesto, você não está tomando nada para mudar a cor da sua pele?

Michael: Oh Deus não, nós tentamos controlar isso usando maquiagem contra isso porque causava manchas na minha pele.
Eu tentei igualar a minha pele. Mas sabe o que é engraçado, por que isso é tão importante? Isso não é importante pra mim. Eu sou um grande fã de arte. Eu amo Michelangelo, se eu tivesse uma chance de falar com ele ou ler sobre ele, eu gostaria de saber o que o inspirou a ser o que ele é, a anatomia de sua destreza, e não com quem ele esteve na noite passada...o que há de errado nisso...Eu sei que isso é o importante pra mim.
Oprah: Quantas cirurgias plásticas você fez?

Michael: Muito, muito poucas, eu digo que você pode contar nos meus dois dedos, vamos fazer assim, se você quiser saber essas coisas, todas as pessoas do mundo, leiam meu livro Moonwalk está tudo no meu livro.
Você sabe,vamos levar por esse lado, se todas as pessoas de Hollywood que fizeram cirurgia plástica, se todos eles saíssem de férias, não teria uma só pessoa na cidade.

Oprah: Hmmm, Eu creio que você esteja certo.

Michael: Eu sei que estou certo. Ela ficaria tão vazia.

Oprah: Você começou a fazer cirurgias plásticas por causa da sua juventude por não gostar do caminho que aquilo seguia?

Michael: Não, não exatamente. Foram por apenas dois motivos. Sério, leia meu livro, não é uma má idéia.

Oprah: Você não quer falar disso comigo? Você mexeu no seu nariz, obviamente.

Michael: Sim, e fiz isso com muitas pessoas que conheço.

Oprah: E então, quando você escuta todas essas coisas sobre você, e sabe que existem mais.

Michael: Eu nunca mexi nas maçãs do meu rosto, nunca mexi nos meus olhos, nunca mexi nos meus lábios e todas essas coisas, eles mudaram sozinhos.

Oprah: Você está satisfeito com o rumo que...

Michael: Eu nunca estou satisfeito com nada, eu sou perfeccionista, faz parte de quem eu sou.

Oprah: Então quando você se olha no espelho agora e vê a sua imagem há dias em que você diz que gosta, ou que gosta de como seu cabelo...

Michael: Não, eu nunc...

Oprah: ...ou eu estou bonito hoje...

Michael: ...(risos)...bonito hoje...não, eu nunca estou satisfeito comigo mesmo. Não, eu tento não me olhar no espelho.

Oprah: Eu tenho que te perguntar isso, muitas mães em minha audiência me pediram para lhe fazer essa pergunta. Por que você pega seu "pau".

Michael: (risos) Por que eu seguro meu "pau".

Oprah: Você tem alguma coisa com seu "pau".

Michael: Eu acho que isso acontece subitamente. Quando você está dançando, sabe, você está apenas interpretando a música e os sons e o acompanhamento. Se existe uma base se há um ritmo, se há uma corda, você se torna uma emoção daquele som. Então se estou fazendo um movimento e
"Bam" e eu me pego isso é...isso é a música que me força a fazer isso.
Não é um bom lugar para descer a mão, você não pensa sobre isso, isso apenas acontece. Muitas vezes eu olho na filmagem e digo..."Eu fiz isso?", então eu sou um escravo do ritmo...(detectores de fumaça saem da casa)...isso, OK.
(intervalo comercial - muitos dos arquivos de Michael são mostrados).
Oprah: Quando você quebrou todos esses records, quando você teve o álbum mais vendido de todos os tempos, quando você quebrou todos os records que foram possíveis quebrar, quando se tornou um ícone de uma indústria, sempre existia uma pressão para fazer algo mais grandioso e melhor?

Michael: Oh, isso é algo, hum, isso se torna cada vez mais difícil de seguir.
Você tenta ser o mais original que puder sem ficar pensando em estatísticas, indo de alma e coração.

Oprah: E então quando você pensa no que irá fazer, você vai, você medita,
você diz, bem agora eu irei fazer o Superbowl.

Michael: Nãooo...Eu crio tudo á partir do meu coração, sério.

Oprah: Liz Taylor disse que você é o rei do pop, rock e soul. De onde veio essa inspiração para que você se proclamasse rei do pop?

Michael: Bem eu não me proclamei nada. Eu estou feliz por estar vivo, estou feliz por ser quem eu sou, Rei do pop foi primeiramente dito por Elizabeth Taylor em uma das entregas de prêmios em uma demonstração
(um vídeo de Elizabeth dizendo isso é mostrado).

Oprah: E foi aí que tudo começou?

Michael: Sim...e os fãs...em todos os estádios que tocamos eles levantavam banners escritos King Of Pop e eles cantavam no lado de fora do hotel rei do...então isso foi algo que aconteceu em todo redor do mundo.

Oprah: Você sai, tem encontros?

Michael: Sim.

Oprah: Quem você encontra?

Michael: Bem agora é a Brooke Shields. Nós tentamos não estar em todo lugar, ir em todo lugar, geralmente é em casa. Ela vem aqui. Eu vou á casa dela, porque eu não gosto de sair em público.

Oprah: Você está apaixonado?

Michael: Sim.

Oprah: Por Brooke Shields?

Michael: Sim, e outra garota.

Oprah: E outra garota? Deixe-me perguntar isso, é muito vergonhoso pra mim te perguntar isso, mas perguntarei assim mesmo, você é virgem?

Michael: Uhhh... Como você me pergunta uma coisa dessa?

Oprah: Eu só queria saber.

Michael: Eu sou um cavalheiro.

Oprah: Você é um cavalheiro?

Michael: Eu sou um cavalheiro.

Oprah: Eu devo interpretar que você acredita que uma dama é uma dama e conseqüentemente...

Michael: Isso é uma coisa pessoal. Eu disse, disse que não deveria ser falado sobre minha privacidade. Você pode me perguntar sobre velhas modas se quiser, mas, sabe, eu digo que isso é muito pessoal.

Oprah: Então você não irá responder isso?

Michael: Eu estou envergonhado.

Oprah: Bem o que queremos saber é se há ou não uma possibilidade de um dia você casar e ter filhos?

Michael: Eu sentiria como se a minha vida estivesse incompleta se não fizesse isso pois adoro a vida em família. Eu adoro crianças e adoro esse tipo de coisa. E eu amaria, esse é um dos meus sonhos, mas eu não posso agora porque eu estou casado, casado com a minha música e é preciso muito empenho para se fazer o tipo de trabalho que quero fazer e...

Oprah: Qual o tipo de mulher faz você...no vídeo que veremos depois...há uma linha que você diz estar
sendo "Saciado" então qual o tipo de mulher faz isso pra você?

Michael: (cantando Give In To Me) "Quench My Desire" - ("Satisfaça meu desejo")...Bem Brooke, eu sempre gostei dela, e quando eu era pequeno eu ficava com Diana Ross, eu e meus irmãos ficamos com ela por anos e eu nunca disse, mas eu sempre tive uma queda por ela.

Oprah: É mesmo?

Michael: Sim.

Oprah: Eu ouvi também, este é mais um daqueles rumores, que você propôs algo á Elizabeth Taylor em alguma parte.

Michael: Elizabeth Taylor é deslumbrante, linda, e ela me acalma hoje em dia, sou louco por ela.

Oprah: Sei, mas você propôs algo á ela?

Michael: Eu gostaria de ter feito.

Oprah: Bem, Elizabeth Taylor está aqui. Liz? Nós podemos trazer ela até aqui agora? Liz disse que queria estar aqui e segurar sua mão, Não parece que você irá precisar segurar sua mão Elizabeth Taylor!
Michael: Olá Elizabeth.

Oprah: Olá.

Elizabeth: Olá.

Oprah: Sente-se.

Elizabeth: Obrigada.

Oprah: Michael já lhe fez alguma proposta?

Elizabeth: Não! E eu nunca fiz proposta pra ele.

Oprah: Nunca fez! O que você pensa ser o mais incompreendido sobre Michael Jackson?

Elizabeth: Todas as coisas que você disse. Ele é o homem menos estranho que eu já conheci. Ele é muito inteligente, astuto, intuitivo, entendido, simpático, generoso - que por pouco esquece dele mesmo.

Oprah: Uh huh.

Elizabeth: Uh, e ele, se, se ele tem alguma excentricidade é porque ele é maior que a vida e muitas pessoas simplesmente não aceitam isso ou não encaram isso. Ou não entendem seu talento no palco, por isso o chamo de rei do pop, rock, soul, música, artista, tanto faz.

Oprah: Sim.

Elizabeth: Não há ninguém que possa se aproximar dele. Ninguém pode dançar assim, escrever aquelas músicas, uh, por causa da excitação que ele tem.

Oprah: E por que você acha que são tão bons amigos? O que os fez conduzir esse tipo de vínculo? Porque pessoas tentam fazer disso algo estranho.

Elizabeth: Bem, não é. Sei que nossa infância foi muito parecida, e nós temos tudo desde o começo em comum. Hum, eu era uma criança famosa aos 9 anos e tinha um pai abusivo,Hum, e esse tipo de coisa que nos aproximaram desde o início.

Oprah: E o que é isso, eu irei fazer essa pergunta ao Michael depois, mas o que você quer que o mundo saiba sobre ele?

Elizabeth: Que é maravilhoso, carinhoso, o homem generoso que ele é, e o quanto é bom.

Oprah: E ele é divertido também.

Elizabeth: Oh, ele é muito divertido.

Oprah: Ele pode fazer muitas brincadeiras, eu te digo.

Elizabeth: Sim, mas ele é um bom homem.

Oprah: Quando nós voltarmos -Obrigada por ter se juntado a nós também-

Elizabeth: Tudo bem.

Oprah: Pois eu sei que você não quis aparecer de começo, mas obrigada. Em breve, Michael nos dará, não apenas uma turnê em seu incrível parque de diversões e teatro, mas também uma performance de dança muito especial. Para todos vocês que diziam que ele falsificava o Moonwalk com espelhos, nós temos mais provas vindo em um minuto.
(intervalo comercial - quando as câmeras voltam Michael está levando Oprah para o teatro num carro de golfe).
Oprah: Isso é chocante pra mim, ver você dirigir. Nós estamos passando através da casa de Michael até o parque de diversões, há muitos jardins distante da casa. E isto é incrível.

Michael: Obrigado.

Oprah: E o que eu quero saber é se você fez para si mesmo ou se fez isso para todas as crianças que você distrai aqui?

Michael: Pra mim mesmo e as crianças (Ele ajuda Oprah a descer do carro)
A cada três semanas crianças vêm aqui uh -

Oprah: Na casa?

Michael: Sim, sim.

Oprah: Fez A Wish Foundation, Dream Street, Starlight, certo?

Michael: A cada três semanas. E essas são crianças doentes, com câncer. E eu as distraio.

Oprah: Uh-huh.

Michael: E eles vem aqui para se divertirem.

Oprah: Isso é inacreditável. É como eu estava falando com algumas crianças que estavam aqui, aqui não é um passeio para vovós. São como passeios para majores.

Michael: (risos)

Oprah: Eu digo o Dragão Marinho, a Roda Gigante, e há aquele Zipper ali.

Michael: O Wipeout.

Oprah: Sim, o Wipeout e ali há Carros de Batida, é realmente...

Michael: Obrigado. Bem isso traz crianças que vivem em todos os lugares. Eu amo passeios e coisas assim e compartilho tudo com as crianças.

Oprah: Você pôde fazer isso quando era criança?

Michael: Geralmente não. Ás vezes, ás vezes, mas não o suficiente.

Oprah: E agora você pode á qualquer hora.

Michael: Todo dia.

Oprah: Atualmente quantas vezes você vem aqui?

Michael: Sempre que posso eu estou aqui, saio e venho dar um passeio.

Oprah: Bem, faz parte de você, nós estamos falando sobre antigamente, a dor de estar crescendo e não ter experimentado todas as coisas que as crianças normalmente experimentaram e agora você está vivendo todas essas fantasias.

Michael: Para compensar, sim.

Oprah: Sério?

Michael: Sim, é a verdade absoluta.

Oprah: Você acha que pode realmente recuperar isso? É a mesma coisa? Eu digo, porque não sei.

Michael: (risos) É mais divertido.

Oprah: Sério?

Michael: Eu não mudaria o passado se eu pudesse. Eu estou me divertindo.

Oprah: E aqui estamos nós, dentro do teatro.

Michael: (risos)

Oprah: Mas o doce está aqui para todas as crianças. Pinocchio está aqui, ET está aqui, Você - o que mais me fascina obviamente é essa aura de criança que tem sobre você, e eu vejo crianças com você e elas brincam com você como se fosse uma delas. Mas, uma criança não faria isso.

Michael: (risos)

Oprah: Uma criança não faria isso junto com outra- isso é magnífico.

Michael: Bem, obrigado. Eu, eu amo fazer coisas para as crianças e eu tento imitar Jesus – Eu não estou dizendo que sou Jesus. Eu não estou dizendo isso.

Oprah: Sim, nós sabemos disso.

Michael: Certo, eu estou tentando imitar Jesus pelo fato que ele disse para ser como as crianças, para ser tão puro quanto as crianças e para fazer a si mesmo inocente e ver as maravilhas do mundo através dos seus olhos e as qualidades de tudo - e eu amo isso. E nós teremos milhares de crianças carecas, todas elas com câncer correndo por aqui.

Oprah: Uh-huh.

Michael: ...e elas estão se divertindo, e isso me faz chorar lágrimas de felicidade por poder fazer isso por elas, entende?

Oprah: Uh-huh.

Michael: Me deixa tão realizado por dentro.
Oprah: Bem, quando eu vim aqui há um mês atrás para gravar um comercial para promover seu evento naquela noite, a coisa que mais me impressionou foi: - eu espero que vocês estejam tirando fotos
disso. Eu não sei se vocês estão, se todas as câmeras estiverem em nós, mas - existem outras
câmeras - ali estão elas, coloque aqui dentro dessas paredes - camas - camas para todas as crianças doentes que vêm aqui. E o que eu descobri quando disse isso é que você realmente se preocupa com as crianças
doentes para ter construído isso na sua arquitetura.

Michael: Sim, sim. Nós temos crianças que vêm e que são muito doentes, de cama.

Oprah: Eles não podem se sentar.

Michael: Certo. Eles não podem se sentar, e essas camas, são camas de hospital. Você aperta um botão e ela levanta ou abaixa e assim eles podem assistir. Nós temos shows de mágica, mostramos os lançamentos em filmes, têm desenhos animados, qualquer coisa que você pensar, qualquer coisa para que eles escapem para aquele mundo de magia que eles não têm uma chance de experimentar, o mundo que fui privado quando era pequeno.

Oprah: Agora deixe-me perguntar isso. Você sabe que acredito em tudo que acontece na vida das pessoas por uma razão. Você acha que não perdeu muito da, hum, vida e a diversão e a fantasia da infância que faça você
se tocar em uma criança hoje em dia? Você relacione elas com você?

Michael: Provavelmente sim, mas não tanto. É por isso que não mudo nada.

Oprah: Sério?

Michael: Porque eu estou feliz com o caminho que as coisas estão seguindo e meu carinho pelos jovens e tudo mais.

Oprah: Você está realmente feliz agora? Porque você esteve muito triste por um longo tempo.

Michael: (risos) Eu estive triste por anos e anos. Mas eu estou feliz. Sim, eu estou muito feliz.

Oprah: O que o faz tão feliz?

Michael: Sendo capaz de retribuir, sabe, e ajudar outras pessoas.

Oprah: Uh-huh.

Michael: A Fundação Heal The World que eu formei, que ajuda crianças a curar o mundo. Nós estamos fazendo agora a Heal L.A., hum, nós temos três objetivos principais: Imunizar crianças, programas educacionais para
irmãos e irmãs, programas contra drogas. Jimmy Carter se juntou a nós para fazer o Heal Atlanta e nós estamos indo de estado em estado curando-os. Nós fomos para Sarajevo, nós fomos em muitos lugares.

Oprah: Eu sei, eu sei, nós temos fotos suas ao redor do mundo todo com todas essas crianças. Uma das coisas que eu estava dizendo antes do último intervalo, antes que o alarme soasse na casa e tudo aquilo...

Michael: Sim.

Oprah: ...é sobre, hum, nós estávamos falando sobre rumores. Um dos mais estranhos que já ouvi é que quando você está fazendo o moonwalk você o está falsificando. Que você tem alguns espelhos em algum lugar dos seus
sapatos.

Michael: Oh, cara!

Oprah: E isso não é verdade.

Michael: Não, isso não é verdade.

Oprah: Primeiro de tudo, você sabe que passamos muito tempo tentando dissipar os rumores, tentando mostrar a verdade, e eu não tive realmente uma oportunidade para falar com você sobre como cria sua música, como cria sua dança. De onde veio a idéia do moonwalk?

Michael: Bem, o moonwalk veio daquelas lindas crianças, as crianças negras que vivem nos guetos, escondidas nas cidades, que são brilhantes, elas simplesmente têm um talento natural para dançar. Qualquer uma dessas
novas, qualquer uma dessas danças, eles vieram com elas, tudo que fiz foi aperfeiçoá-las.

Oprah: OK, eu quero ver você dançar.

Michael: Oh, Deus, não, não.

Oprah: Eu quero ver você dançar. Eu quero ver você dançar, ao vivo.
Michael: Não, não. Eu posso lhe mostrar um passo ou dois. Mas, eu estou um pouco enferrujado agora.

Oprah: Um pouco enferrujado?
Michael vai até o palco e faz um monte de passos de Dangerous.

Michael: Esse é o moonwalk. Espere, você preciso vê-lo pelos lados.

Oprah: Você vai virar de lado?

Michael: Você está de frente?

Oprah: Sim.

Michael: Veja pelos lados!

Oprah: OK. Apenas me mostre em câmera lenta. Pode me mostrar em câmera lenta?

Michael: OK, espere, é como empurrar e há tipo uma espécie de força que é exercida sobre (pára de dançar e desce do palco).

Michael: Me desculpe.

Oprah: (aplaudindo) Bem, eu vi ao vivo, eu vi ao vivo. E quando você pegou isso das crianças é por elas que tem feito isso?

Michael: Sim, porque hum, elas são as verdadeiras dançarinas.

Oprah: Sim. E ,quando estivemos aqui antes para fazer aquele comercial você...

Michael: Você irá fazer ele comigo! (rindo)

Oprah: Eu não sei como fazer isso!

Michael: (rindo).

Oprah: Você sabe, eu não sei como fazer isso!

Michael: (rindo).

Oprah: Sabe de uma coisa? Eu disse todas as coisas mostradas em tablóides, e a única coisa que é a pura verdade foi quando disseram que eu não poderia dançar. Essa é a verdade!

Michael: (risos).

Oprah: Quando estivemos aqui a última vez para fazer aquele comercial, você esteve correndo no meio de fotos e dançando, fazendo coreografias de dança, você esteve dançando toda noite.

Michael: Para o Superbowl?

Oprah: Sim, sim.

Michael: Sim, bem...eu nunca estou satisfeito. Toda vez que vejo algo que fiz e pessoas dizem "oh isso foi fenomenal" - quando eu fiz a apresentação no 25° Aniversário da Motown e fiz o moonwalk pela primeira vez, eu estava ao fundo chorando depois.

Oprah: Por que?

Michael: Porque eu não estava feliz.

Oprah: Você chorou depois dos 25 anos da Motown?

Michael: Após os 25 anos da Motown, sim. Mas quando eu estava andando até o carro veio um garotinho, ele tinha em torno de 12 anos, uma pequena criança, e ele disse "ooo você foi incrível, quem te ensinou a dançar daquele jeito?" E pela primeira vez eu senti que havia feito um bom trabalho. Porque as crianças não mentem e eu me senti tão bem com isso.

Oprah: Você se sentiu tão bem, que você provavelmente quis dizer (imitando Michael) Hee-hee!

Michael: (risos) Hee-hee!

Oprah: Eu quero que você cante alguma coisa acapella pra mim, se você puder.

Michael: Oh, não! O que eu poderia cantar?

Oprah: Who Is It, você sabe como executar isso, já que estamos aqui no teatro.

Michael: Oh, cara, o que devo cantar? Who Is It?

Oprah: De onde veio aquele Hee-hee? Hee-hee

Michael: Eu acho que apenas veio...Hee-hee (começa a cantar Who Is It acapella)

Oprah: Owww! Fabuloso!

Michael: Eu disse, você quis que eu fizesse isso. Eu fiquei com vergonha. Me desculpe, fiquei envergonhado.

Oprah: Eu adoro isso. Muito obrigada por isso. Nós voltaremos com mais Michael Jackson ao vivo -
Isso foi ótimo.
(abraça Michael - intervalo comercial)
Oprah: Uma das razões que nós quisemos dar uma olhada nessa parte quando
fomos para o comercial foi porque vídeos musicais geralmente eram pessoas cantando suas músicas, antes que você viesse e mudasse os vídeos musicais. Você sabe quando fez o primeiro?

Michael: Sim. A idéia era fazer algo que fosse como uma história então isso
teria que ter um começo, um meio e um fim.

Oprah: Uh-huh.

Michael: Então ficou sendo como um mini filme, foi isso que eu quis fazer. E
foi o que fizemos com Beat It e Thriller e Smooth Criminal e todos os demais.

Oprah: Então quando você começa a olhar para uma parte do serviço ou olhar
para uma parte da música, você fica pensando como você irá...

Michael: Ás vezes. Isso, é a verdade.

Oprah: Uh-huh. Eu me admiro com isso, eu nunca irei saber pois eu não posso
cantar nada, mas, o que se sente ao subir no palco com um mar de pessoas. Uma das coisas que mais me impressionam em juntar as suas partes, é que a resposta em todo o redor do mundo em relação a você é tão incrível. Eu queria apenas que você visse como as pessoas ao redor do mundo respondem sobre Michael Jackson.
(corta para mostrar partes de concertos e multidões em torno do mundo)


Oprah: Quando você está de pé em frente a um mar de pessoas ao seu redor, gritando o seu nome como eles fazem, como se sente?

Michael: Amo. Você sente muito amor, e me sinto abençoado e honrado em ser um instrumento da natureza que foi escolhido para lhes dar isso. Me sinto honrado e feliz com tudo isso.

Oprah: Um instrumento da natureza - esse é um jeito muito interessante de descrevê-lo.

Michael: Obrigado, sim.

Oprah: Você tem um lado muito espiritual?

Michael: Em qual sentido?

Oprah: Eu digo, você medita? Você entende que há algo mais grandioso que você que aja aqui?

Michael: Eu acredito em Deus, absolutamente, absolutamente, muito.

Oprah: Uh-huh, e eu acredito que todos venham ao mundo por um propósito, eu creio, hum, muitos de nós gastamos nossas vidas tentando figurar a verdadeiro propósito de estarmos aqui. Qual você acha que seja o seu?

Michael: Meu propósito?

Oprah: Uh-huh.

Michael: Oh cara. Eu acho que hum, fazer o melhor que eu possa através das canções, através da dança e através da música. Eu estou confiando na minha arte.
Eu creio que todas as artes tenham como um último objetivo a união entre o material e o espiritual, o humano e o divino. Eu acredito ser essa a razão da existência da arte.

Oprah: Uh-huh.

Michael: E hum, eu sinto como se fosse um instrumento apenas para dar música e amor e harmonia ao mundo. Para crianças de todas as idades, e hum, adultos e adolescentes.

Oprah: Você acha que agora, compondo os records diretos por você, talvez pessoas irão prestar mais atenção na sua música e não o julgar por qualquer coisa que não seja pelo tipo de música que você toca?

Michael: Eu desejo tanto isso, eu amaria.

Oprah: Bem, eu desejo que você consiga isso também. Eu estou excitada pelo mundo estar assistindo, nós pensamos que esse é um momento para o mundo ver o premiado video de Give In To Me.
(mostrado vídeo de Give In To Me)
Oprah: Nós queremos saber como isso começou, se foi num pedaço de papel - "satisfaça meu desejo" - e se tornou nisso?

Michael: Bem, Give In To Me, eu quis escrever uma outra música, sabe, que fosse um pouco excitante e engraçada e que tivesse uma margem de rock nela. Como eu fiz em Beat It e Black Or White. E Slash,
que é um amigo querido meu - nós adoramos animais e coisas do tipo - ele quis tocar guitarra e eu quis que ele tocasse guitarra. Nós nos juntamos e nós fomos para a Alemanha e gravamos tudo em 2 horas. Não tínhamos tempo para gravar isso. Nós quisemos fazer como um show de rock e foi como terminou - foi esse o resultado.

Oprah: Você mencionou animais. Tenho certeza que quando eu sair daqui todos irão me perguntar "onde estão
os animais?" Eu disse isso na abertura, eu esperava ver chimpanzés pulando pela sala e não vi nenhum. Onde está Bubbles?

Michael: (risos) Bem, os animais estão por toda parte. Eles estão em seus habitat. Estão por todo o rancho.
E eles saem durante a luz do dia e brincam e pulam por aí, eles têm seu próprio parque e área.

Oprah: Por que você acha ser tão fascinado por animais?

Michael: Porque eu encontro nos animais a mesma coisa tão maravilhosa que encontro nas crianças. Sua pureza, sua honestidade, eles não o julgam, eles apenas querem ser seu amigo. Eu acho isso tão doce.

Oprah: Eu também acho. Nós voltaremos com mais Michael Jackson ao vivo.
(intervalo comercial)
Oprah: Nós estamos ao vivo na casa de Michael Jackson, em seu teatro e nós
pedimos á NBC 90 minutos. Eu não acho que tenha sido tempo suficiente.

Michael: (risos)

Oprah: Eu acho que deixamos claros todos os rumores. Não existem chimpanzés correndo ao redor da casa.

Michael: (risos)

Oprah: Nenhum tanque de oxigênio na casa. Eu não sei, você está indo repousar seu "pau" agora?

Michael: (risos) Fale de música!

Oprah: Falar sobre música fará você repousar o "pau". Oh, nós não falamos da
inauguração. Você disse ao Presidente Clinton que você tinha que ser a única
pessoa para cantar?

Michael: Isso é horrível. É a mais estúpida e louca história que eu já ouvi.
Eu digo, porque eu iria querer que apenas eu e mais ninguém estivesse no show, justo eu? Isso é tão estúpido pra mim. Eu digo que isso é loucura. Não há nada igual em meu coração. Eu nunca disse nada disso. Novamente, alguém levantou isso e o restante do mundo acreditou. Isso é tão falso, é incrível.

Oprah: O que você mais quer que o mundo saiba sobre você? Eu perguntei isso á Liz sobre você, o que você quer que eles saibam?

Michael: De ser lembrado?

Oprah: Nada de ser lembrado - o que quer agora? Esqueça de ser lembrado!

Michael: Oh saber agora! Que sou um artista, um grande artista. Eu amo o que faço e amo as pessoas que amam o que faço e de ser amado. Eu apenas quero ser amado á qualquer lugar que eu vá. Por todo o redor do mundo, porque eu amo as pessoas de todas as raças do meu coração, com verdadeiro afeto.

Oprah: Hmmm. Gene Siskel que é um critico do cinema me fez esses dias essa pergunta.
E eu amo perguntas, então irei lhe perguntar.

Michael: Sim?

Oprah: Você está com 34 anos. O que você tem certeza de saber?

Michael: Hmmm...o que eu tenho certeza de saber?

Oprah: O que você tem certeza de saber?

Michael: Oh cara, eu estou aprendendo, a vida é como uma educadora pra mim. Eu não posso dizer pois eu não tenho certeza de saber nada. Eu acredito nisso.

Oprah: Eu não posso agradecê-lo o suficiente por ter nos recebido e te desejo toda felicidade do mundo. Eu adorei estar aqui pois me fez sentir como uma criança novamente e uma das coisas que prometi a mim mesma foi que quando essa entrevista acabasse - ao vivo para todo o mundo - eu iria naquela Roda Gigante.

Michael: (risos)

Oprah: E é exatamente isso que pretendo fazer. Eu irei tirar meus sapatos azuis e irei subir naquela Roda Gigante.

Michael: (risos)

Oprah: Eu irei ter bons momentos e talvez um sauqinho de pipocas, e talvez quando tudo acabar você irá me ensinar o moonwalk, quando não estiver mais ninguém olhando!

Michael: OK, OK, parece uma boa idéia!

Oprah: Sim! Isso vai ser divertido!

Michael: Sim! Muito divertido!
(Michael e Oprah saem juntos do teatro e vão ao parque de diversões)

_________________
avatar
Raquel M.K.Jackson
Administração
Administração

Mensagens : 188
Data de inscrição : 03/06/2011
Idade : 22
Localização : são paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum